Belo texto da Thais Naldoni, publicado no Portal Imprensa. Vale apena conferir.

Por Thaís Naldoni

Na noite desta quarta-feira (12), a Igreja Universal usou o “Jornal da Record” para responder ao indiciamento de Edir Macedo e mais nove pessoas pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP), sob acusação de “desvio de recursos da instituição religiosa para a compra de empresas de comunicação e outros bens”.

Durante todo o telejornal, os apresentadores Ana Paula Padrão e Celso Freitas faziam chamadas da matéria que viria no último bloco: “Crescimento da Rede Record incomoda a concorrência” foi uma das frases utilizadas, em referência aos dez minutos que a Rede Globo disponibilizou no “Jornal Nacional” da última terça-feira (11) para tratar sobre o tema.

Ao repórter Lúcio Sturm (ex-Rede Globo) coube a primeira reportagem. De longa duração, a matéria em nenhum momento falou sobre as denúncias contra Edir Macedo, apenas atacou a Rede Globo, questionando qual seria o motivo de a emissora da família Marinho ter dado tanto destaque à denúncia contra Macedo. Segundo infográfico, Band, SBT e Globo noticiaram o assunto, sendo que a duração das matérias foi de dois, quatro e dez minutos, respectivamente.

Na sequência, as denúncias contra Macedo (não mencionadas) foram contrapostas com uma retrospectiva que visava mostrar o “jogo de interesse” com o destaque à notícia. “A família Marinho sempre usou a emissora a favor de seus interesses pessoais”, disse o texto, que também apontou a suposta perseguição da TV Globo à Lula, citando, por exemplo, o debate de 1989, contra o então candidato Fernando Collor de Melo.

Em seguida, foi ar matéria de Ogg Ibrahim, com entrevistas com fieis da Universal, além de imagens de projetos apoiados pela Igreja. Nesta reportagem apenas uma vez é citada a denúncia do Ministério Público. Segundo o texto, a Igreja “não esconde que gasta para adquirir bens que ache necessários, como um jatinho para que pastores visitem os templos da Universal em todo o mundo”.

No final, a reportagem diz que o destaque dado pela TV Globo à denúncia tem a ver com o “desespero” da emissora por estar perdendo o “monopólio” da informação no país. O “Jornal da Record” terminou com Celso Freitas citando o trecho de uma nota oficial publicada pela Igreja. “A Universal afirma que confia na Justiça brasileira, que não se influencia pelo interesse de qualquer grupo, mesmo aquele que quer manter o monopólio da informação”.

Do outro lado

O “Jornal Nacional” começou sua edição desta quarta-feira (12) com reportagem de César Tralli, que afirmou que o Ministério Público pedirá ajuda internacional para rastrear as movimentações financeiras na investigação de lavagem de dinheiro contra Edir Macedo.

Na matéria, Tralli cita reportagem do jornal O Estado de S. Paulo que teve acesso a documentos que comprovariam a investigação de que a Igreja desviava recursos de fiéis para a compra de veículos de comunicação. “A reportagem afirma: ‘oito empresas de comunicação, entre elas a rádio e televisão Record estão entre as dez principais beneficiárias de transferências eletrônicas ou depósitos bancários que saíram da Igreja Universal do Reino de Deus’.”

Segundo a matéria, teriam sido beneficiadas com dinheiro de fiéis as empresas Edminas, Rede Mulher de Televisão, Editora Gráfica Universal, e Rede Família de Comunicação, todas ligadas ao mesmo grupo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s